PanoraMix#08

Você vai ler nessa edição:

Sheryl Sandberg fala dos anunciantes no Facebook. Hugo quebra mais uma barreira na comunicação, Políticos criam barreiras e a justiça não sabe o que fazer com os direitos das máquinas.

Depois me conta o que você achou e quais assuntos gostaria de ver abordados aqui.

Abs,
Paco Torras

Ainda não é assinante? Pfffffff. Assine aqui e receba no seu email um dia antes de ser publicada no site.

Leia as edições anteriores da Panoramix clicando aqui.


A NOVA POLÍTICA

Poder

Um dos links mais clicados na PanoraMix#07 fala da mudança no eixo do poder que a tecnologia tem viabilizado. Logo em seguida, na mesma edição, falo de iniciativas privadas que tornam entes públicos mais transparentes e consequentemente menos poderosos. A Folha de sábado traz uma matéria que vai no mesmo caminho e mostra como está mais fácil unir pessoas com ideias e projetos em comum para construir opções políticas e tentar levar nossa política e nossas políticas econômicas e sociais a um patamar mais evoluído e alinhado com as necessidades e demandas de uma população com muito mais acesso à informação.

Agora!, Livres, Meu Rio, Acredito!, Novo e MBL são apenas alguns desses novos grupos que captam seguidores e disseminam suas propostas utilizando intensamente plataformas digitais como aplicativos, sites, IMs e smartphones, enquanto a velha política ainda se baseia em minutos de TV para divulgar ideias que cada vez mais parecem tão antigas quando os meios utilizados para divulgá-las.

Leia aqui a matéria da Folha de São Paulo de domingo e a coluna de ontem do Ronaldo Lemos tratando exatamente do mesmo assunto no mesmo jornal.


UMA CONSTITUIÇÃO PARA HUMANOS E MÁQUINAS

Tecnologia | Legislação

Falando em poder e tecnologia, um dos grandes desafios que nossos empresários terão para modernizar o país será fazer os legisladores entenderem como encontrar o equilíbrio entre regulação e evolução tecnológica.

Desde o Uber, que vem sofrendo restrições e banimentos em diversos países, até novas formas de produzir alimentos em laboratórios, novos entendimentos sobre leis trabalhistas, concessões estatais e direitos civis vêm se tornando fundamentais para não desestimular avanços, não só tecnológicos, mas sociais, ambientais e econômicos.

A última questão nesse sentido foi levantada pela Amazon e se refere aos arquivos de áudio gravados por um dos seus assistentes pessoais por voz, Alexa. A questão é: o que uma máquina “fala” ou “escuta” pode/deve ser protegido pelas mesmas leis e confidencialidade de um ser humano?

Tudo começou com um pedido da justiça americana para que a Amazon liberasse os áudios gravados por um dispositivo Echo de um cliente envolvido, o usuário e o aparelho, num caso de assassinato em 2015. Parece que o Echo escutou o que não deveria.

No caso, argumentaram os advogados da Amazon, as decisões da plataforma sobre quais informações fornecer nos resultados de busca solicitados pelo usuário são “opinião constitucionalmente protegida” e, portanto, têm direito a “plena proteção constitucional”, exatamente como os humanos. Alguns advogados concordam nisso.

A justiça terá um longo caminho no sentido de esclarecer de forma justa esses tipos de questões que se tornarão cada vez mais comuns, pertinentes e relevantes para pessoas, máquinas e empresas.


MALVADOS

André Dahmer é dos melhores cartunistas da nova geração. Não dessa aí de baixo.


ANUNCIANTES VÃO AONDE O CONTEÚDO ESTÁ

Mídia | Propaganda | Facebook

Assunto recorrente no Panora é a fragmentação da produção de conteúdo e da audiência que consome esse conteúdo. A era dos grandes veículos drenando toda a verba publicitária acabou e essa verba hoje está pulverizada por inúmeros pequenos sites, canais de vídeo, Instagram e usuários de redes sociais através das ad networks.

Outro fenômeno no mercado publicitário criado por gigantes como Google e Facebook foi a multiplicação de anunciantes. Hoje, qualquer pequeno negócio tem condições de criar campanhas publicitárias on-line com muita facilidade, competindo de verdade com grandes anunciantes. Coisa impensável anos atrás.

Essa realidade fica comprovada com o anúncio feito pelo Facebook de que possui mais de 5 milhões de anunciantes ativos em suas páginas onde estão quase 2 bilhões de pessoas e 65 milhões de empresas.

A maioria desses anunciantes são pequenas e médias empresas e sua quantidade cresceu mais na Tailândia, México, Índia e Brasil, nas áreas de e-commerce, entretenimento, mídia e varejo.

Leia aqui a entrevista com a Sherlyl Sandberg, COO do Facebook, que detalha o momento para anunciantes e projeta o futuro.


UMA BARREIRA MENOS

Comunicação | Tradução

Sou daqueles que acredita que muito em breve não será mais por não entender outros idiomas que iremos brigar. Diversas iniciativas em softwares e hardwares que viabilizam traduções instantâneas em voz, texto ou imagens mostram que saber um segundo idioma é importante, mas vai deixar de ser imprescindível.

O ili é um pequeno dispositivo que traduz em até 0.2 segundos frases entre japonês, chinês e inglês, sendo ideal para viajantes. Veja o ili em ação aqui.

Tão útil quanto para viajantes, gratuito e já disponível em qualquer smartphone há algum tempo, o Google Translate, além de traduzir voz, é capaz de traduzir textos presentes em imagens. Basta apontar a câmera do celular para uma placa na rua para ver o que ela diz em um dos 27 idiomas disponíveis. Assista aqui um vídeo da ferramenta traduzindo a letra de uma música que todos conhecemos e aqui outro, explicando como o Translate funciona.

A última adição nessa área vem de uma das mais antigas ferramentas de comunicação on-line. O Skype agora pode traduzir conversas de voz entre dez idiomas em tempo real. Veja aqui um vídeo com estudantes conversando em dois idiomas diferentes.

Outra iniciativa, que além de traduzir muda a vida das pessoas, é o Hand Talk. Aplicativo desenvolvido em Alagoas que traduz textos, sons e imagens para a Língua Brasileira de Sinais (Libras), permitindo a comunicação com deficientes auditivos.  “Através de uma biblioteca de animação, programada por um conjunto de mais de 300 palavras, o Hand Talk converte dados de texto, som e imagem que são mostrados pelo Hugo em Libras”. Hugo é o boneco que se faz de interlocutor entre o Hand Talk e os deficientes auditivos usuários da tecnologia.

Ainda falta muito para que traduções instantâneas feitas por máquinas sejam aceitas em transações legais e negociações empresariais ou diplomáticas, mas iniciativas como essas acima têm um enorme potencial de viabilizar e agilizar atividades colaborativas e educacionais. E de evitar alguns conflitos.


O QUE É DOWNLOAD?

Cultura

Quem estava pelo menos no segundo grau nos anos 70, 80 e 90 deve ter tido nas mãos algum livro da coleção Primeiros Passos da Brasiliense.

Eram edições de bolso sem pretensões acadêmicas profundas que tentavam iniciar o leitor em temas contemporâneos diversos como filosofia, arquitetura, política e cultura. A coleção vendeu só em 1999 meio milhão de exemplares. Eu tenho alguns até hoje.

Agora quase oitenta livros da coleção estão disponíveis para download em PDF individualmente ou em conjunto. Pena que O Que é Jazz do Roberto Muggiati não está na lista.


Obrigado por assinar minha newsletter. Se você gostou do conteúdo que escolhi essa semana, encaminhe aos seus amigos.

Ainda não é assinante? Pfffffff. Assine aqui e receba no seu email um dia antes de ser publicada no site.

Leia as edições anteriores da Panoramix clicando aqui.

Quais assuntos você gostaria de ver aqui? Mande um email para panoramix@panora.com.br com suas sugestões.

Abraço,
Paco Torras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s