Como alimentar o mundo com luz

Já entendemos que esperar pelo governo resolver nossos problemas é sonho e que se ele não atrapalhar já está mais do que bom, certo?

Isso vale para qualquer país e cada vez mais é verdade que são os empresários que estão assumindo as rédeas da inovação – o que um dia foi papel dos governos – resolvendo questões básicas de serviços e efetivamente levando a nossa sociedade em direção ao futuro, pelo menos na maioria dos casos.

Educação, transporte e medicina são algumas das áreas onde há mais exemplos dessa tendência, mas há outra área na qual o problema é tão grande, mas tão grande que qualquer projeto precisa de um longo e caro processo de desenvolvimento, coisa que somente governos pareciam ser capazes de custear. Mas não é bem assim.

Enquanto alguns governos têm como política de estado incentivar agricultura familiar e extensiva como solução para alimentar uma população que não para de crescer, empresas privadas com pouco ou nenhum apoio oficial estão tratando o mesmo problema de forma oposta. Diminuindo as áreas de cultivo e usando a tecnologia para aumentar muito a eficiência da produção.

philips

Recentemente a Philips abriu na Holanda sua uma fazenda indoor chamada GrowWise City onde em 2.500 m2 cerca de 10.000 pesquisadores estão trabalhando para criar receitas de crescimento de plantas com luz LED, sem solo e sem sol. É uma verdadeira fazenda vertical totalmente hermética, limpa, sem nenhum ar ou iluminação naturais. A instalação emprega um sistema de iluminação LED totalmente customizado para que cada tipo de cultivo possa crescer de forma ideal, completamente orgânico e sem pesticidas. Assista o video abaixo.

Uma instalação como esta pode ser replicada em qualquer lugar do mundo e produzir alimentos o ano todo, independente do clima. Com as áreas de cultivo se extinguindo e com a demanda por alimento crescendo mais do que a população, esse tipo de fazenda pode ocupar espaços ociosos nas cidades, viabilizando uma produção local, com baixo uso de água, reduzindo a distância ao consumidor e assim o descarte de alimentos.

Por enquanto o projeto está focado no cultivo de folhas e ervas mas em breve vai partir para a produção de alimentos com base em carboidratos como trigo e batatas.

O custo de um pé de alface da Philips ainda é proibitivo, mas são iniciativas como essa que irão alimentar o mundo no futuro. Movimentos agrários não terão vez nesse tipo de agricultura.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s